You are currently browsing the tag archive for the ‘transporte’ tag.

Acho que uma das principais preparações que se pode fazer antes de viajar para o Japão é sem dúvida nenhuma adquirir o JR Rail Pass. Ele é um anjo salvador dos turistas não só na cidade mais cara do mundo (Tokyo) como em toda as cidades do Japão.

Esse passe garante transporte entre todas as cidades do Japão utilizando os shinkansens (trens bala), permite que você se desloque dentro das cidades quando for usar as linhas da JR e ainda inclui o ferryboat entre Hiroshima e a ilha de Miyajima. Com isso o turista economiza e muito; mas atenção: esse passe só está disponível para aqueles que vão ao Japão com visto de turista. E não é válido para os trens bala Nozomi (que são os mais rápidos).

O transporte público é excelente. Existe trem para todo o lado das cidades, porém o grande defeito é que nada é integrado, portanto toda a hora que você desce em uma estação para trocar de trem você deve pagar novamente a tarifa cujo preço vai depender da distância que você vai percorrer. Na frente das máquinas de compra de ticket (sim lá é tudo na base da máquina) vai ter um enorme quadro com todas as linhas saindo e chegando a estação que você está. Em cada estação você encontra o preço que deverá pagar.

Muitas vezes esses quadros estão apenas em japonês, quando você ficar na duvida de qual o valor deverá pagar sempre pague a tarifa minima. Quando chegar na estação de destino passe em uma das máquinas que ficam perto da saída chamadas de Fare Adjustment e ele te dirá se deve pagar algo a mais ou não.

Porém se você tem o passe você pode andar quantas vezes quiser em quantas estações desejar que, SE FOR LINHA JR, não pagará nada. Basta apresentar o passe para os guardinhas na entrada e na saída das estações. Eles ficam bem ao lado das catracas.


Grifei bem o fato de ser JR Line por que em todas as cidades há as linhas de metro e as linhas privadas, dentre estas a da JR Line. Portanto esse passe não serve para as linhas de metro. Não que isso vá fazer diferença já que há linhas JR para todos os principais lugares.

Quando for comprar o passe veja exatamente qual a duração da sua estada não só em Tokyo mas no Japão como um todo. Existem passes para 7, 14 e 21 dias. E eles começam a valer a partir da data que você for em uma das agencias da JR (eu troquei na estação de Shinagawa) e pedir para validar o passe, nesta hora você vai poder decidir a partir de que data você quer que ele valha. Antes disso ele não é válido, sendo apenas um voucher!!!!!  Portanto veja direitinho as datas.

Para usar os shinkansen é um pouquinho diferente. Você deve ir a um dos pontos de venda do trem bala (como se fosse comprar normalmente) e que existem em todas as grandes estações de trem. Quando for comprar escolha o destino, o horário (para as grandes cidades existem trens balas a cada 10 – 20 minutos) e mostre que você tem o passe…. nenhuma taxa ou valor será cobrado. Se te cobrarem, algo está errado.

Geralmente os atendentes são sempre bem gentis e falam inglês o suficiente para te atender e tirar todas as suas dúvidas. Além disso, você também pode pedir os horários dos trens que você precisa pegar para chegar na estação em que precisa pegar o trem bala; para dessa forma não perder o trem (que sai pontualmente!!!!). 


Enfim… JR Rail Pass é a salvação para todo o turista não ir a falência para se locomover no Japão. Não esqueça de cuidar dele com todo o carinho, de levar para onde quer que você vá e deixá-lo sempre a mão, já que vai precisar mostrá-lo tanto na entrada quanto na saída de cada linha de metro e se for perdido você nao conseguira uma segunda via.

Jr Lines

 

Tokyo Monorail

P.S.: Clique nos mapas do metro para ver em maior tamanho.

Em Montevideo é muito fácil de ir do ponto A ao ponto B sem gastar muito. Tudo depende de onde você está e para onde quer ir.

Vamos partir do começo:

  • Chegada ao Aeroporto: 

           Ao chegar do aeroporto você vai perceber que não tem taxi algum por perto. No aeroporto existe apenas os taxis executivos que utilizam tarifas bem mais caras do que a tarifa normal (pelo menos o dobro). Os taxis normais você conseguirá apenas se tiver sorte de um deles estarem deixando algum passageiro ou então você pode ligar no número 141 e pedir um taxi. E sim gente com o nosso celular brasileiro, se habilitado para uso internacional, consegue ligar sim. A média da corrida de taxi do aeroporto até o hotel Ibis fica em torno de 500 pesos uruguaios ou R$ 50,00*.

* Cotação do mês de junho.


  • Circulando por Montevideo:

        Em Montevideo os taxis (amarelo e preto)  são relativamente baratos, com motoristas simpáticos e a maioria fala português praticamente fluente. São muito cordiais mesmo, quando fomos ao estádio do Centenário estava fechado para visitação; o taxista parou conversou com o funcionário desligou o taximetro e disse que podiamos entrar que ele nos esperaria… sim gente.. ele DESLIGOU o taximetro. 

          Dependendo da distância você pode tranquilamente andar a pé. Na verdade gostei bastante de andar a pé; é tranquilo, seguro e muito gostoso. Andar pelas Ramblas (beira do rio da prata) principalmente no por do sol é algo divino e inesquecível. Ali no centro histórico, na região principal, são curtas as distâncias e tranquilo para andar a pé. Apenas lugares mais distantes como Parque Rodó, Punta Carretas, Estádio Centenário é necessário um outro meio de transporte.

        Na verdade, apesar de barato, os taxis em Montevideo, além de velhos não são nada confortáveis. O banco traseiro é bem apertado e completamente separado do motorista por uma divisória de madeira e vidro.  Entretanto o lado positivo é que todos os preços são tabelados. Então você entra no taxi e já vê uma tabelinha que você depois pode verificar se o motorista está cobrando certinho. E TODOS os taxistas que pegamos logo em que entramos já ligou o taximetro, então nada daquela coisa (que acontece muito por aqui) de você entrar e o cara cobrar o que quer.

 

  • Circulando pelas demais cidades:

             Nós fomos apenas para Colônia Del Sacramento. Para se deslocar até lá alugamos um carro (cerca de U$ 50,00 a diária), a locadora leva o carro até o hotel, mas atenção se for domingo você terá que ir até o aeroporto pegar o carro. A estrada é bem boa, fácil de chegar até lá basta contornar as ramblas e  seguir sempre reto e finalmente chegará lá. Em Colônia não é nem um pouco necessário andar de carro… tudo é perto de tudo e é uma delícia andar a pé.

          Outra opção é  ir de Montevideo para Colônia de ónibus. Não é tão caro cerca de U$ 18,00 a passagem, pelo que eu sei o ônibus não é muito confortável mas dependendo da sua disponibilidade (de tempo e dinheiro) pode ser uma boa opção.

Colônia Del Sacramento


Quer falar comigo???

carpediem.blog@hotmail.com

Destinos

Redes Sociais

Twitter Button from twitbuttons.com

O Carpe Diem também faz parte do…

portal
bloglovin

Campanhas!

Mais fotos...