You are currently browsing the tag archive for the ‘Tailândia’ tag.

roteiros imperdiveis

Esse ano iremos lançar várias séries diferentes. A primeira delas a ser lançada é justamente o “Roteiros Imperdíveis”.

A intenção é oferecer uma breve introdução sobre 5 destinos de um tema específico que ajudará você a decidir a sua próxima viajem. Vale a pena seguir essa série e participar sugerindo roteiros (manda um email carpediem.blog@hotmail.com)

O primeiro roteiro é para os apaixonados: sou suspeita mas adoro viajar com o marido, só nós dois, acho que renova o casamento, namoro, noivado, enfim e ele é o melhor companheiro que podia ter, nos acertamos como ninguém nas viagens. Outra paixão é praia! Adoro um destino que una calor, sol, praia e mar. Então vou começar com o meu destino favorito: Destinos Românticos de Praia!

Espero que gostem e aproveitem muito as sugestões de roteiros:

Tulum

Não perca o vídeo da nossa viagem para o México aqui.

Nanuya - Fiji

 Veja todos os detalhes das ilhas em que nos hospedamos nas Ilhas Fiji aqui

Baia de Kotor - Montenegro

 Tudo sobre a nossa hospedagem na Baía de Kotor aqui.

Exumas Cays - Bahamas

 Que tal assistir um pouco sobre a nossa aventura nas Bahamas aqui?

Tailândia

 Tudo sobre a nossa viagem a Tailândia tim tim por tim tim aqui

Chegamos em Koh Phi Phi loucos para explorar as ilhas e as praias, mas resolvemos não ir com tanta sede ao pote e aproveitar cada lugar com calma. Foi então que decidimos conhecer duas ilhas que pertencem a Koh Phi Phi Don: Mosquito Island (yoong Island) e Bamboo Island.

Saindo com nosso long boat rumo as ilhas de Phi Phi Don

Alugamos nosso próprio long boat, para não ficar dependendo de ninguém e poder traçar os nossos próprios horários e roteiro, e lá fomos nós. Confesso que no começo com um pouco de medo afinal o mar é aberto, mas tudo passou em alguns minutos ao chegar em nosso primeiro destino: Mosquito Island. A distância não foi pequena, mas as vistas do caminho são lindas e já valem a viajem.

Mosquito Island

Ao chegar na ilha, nosso motorista achou um cantinho espetacular para “estacionar” o long boat e caimos no mar com nosso snorkel. Mergulhar por lá é algo incrível e inesquecível, pena que nossa máquina aquática nos deixou na mão exatamente nesse dia. 

Achei que depois de conhecer Koh Tao e até mesmo Fernando de Noronha, poucos lugares iriam me surpreender no snorkel, mas estava completamente enganada, Mosquito Island tem um fauna e flora marítima incrível, nunca vi tanto peixe e coral na minha vida reunido em um espaço tão pequeno.

Abismos de pedra, águas esmeraldas e muita vida submarina

É algo realmente imperdível quando se está em Koh Phi Phi, isso sem falar na beleza da ilha em si. A ilha tem uma paisagem espetacular com abismos de pedras, vegetação verdinha e um mar verde esmeralda e já nos dava um pequeno aperitivo do que viria no dia seguinte ao visitarmos Koh Phi Phi Leh. Muito lindo!!

Depois de muito snorkel (como estávamos com o nosso próprio long boat podíamos escolher quanto tempo ficar por ali) resolvemos relaxar na praia de areia fofinha e branquinha da ilha ao lado: Bamboo Island.

Chegando em Bamboo Island

Praia de areia branca e fofinha, água quentinha e cristalina

Por aqui é possível entrar na ilha e aproveitar bem a praia e a areia para tomar um sol. A ilha não possui muita infra estrutura, mas tem banheiros e algumas (poucas!) barraquinhas no seu interior, mas não vá achando que vai encontrar restaurantes ou um almoço reforçado, por lá há apenas lanches e bebidas para enganar a fome.

Dando uma voltinha pelo interior da ilha

Voltando ao hotel com essa vista

Não esqueça que em 2004 a Tailândia, e principalmente as ilhas Koh Phi Phi, foram surpreendidas por um tsunami e por isso por toda ilha várias placas estão espalhadas alertando e mostrando a rota mais rápida para o ponto mais alto da ilha.  Apesar de não ter necessidade de histeria, fique esperto!

\

\

• Nosso roteiro pela Tailândia

• Dicas de Hospedagens pelo país

• Circulando por Bangkok

• Os lindos templos de Bangkok

• Bangkok além dos templos

• Curtindo a noite de Bangkok

• A antiga capital da Tailândia: Ayutthaya!

• Como chegar até as ilhas tailandesas

• Como explorar Koh Pha Ngan

• O paraíso do Golfo da Tailândia: Koh Nang Yuan

• O aperitivo de Koh Phi Phi: Mosquito & Bamboo Island

Bem vindo a antiga capital da Tailândia: Ayutthaya!

Considerada patrimônio da Unesco, a cidade tem uma história triste. Atacada pelo birmaneses no século 16, seus templos foram ao chão, estátuas de Budas tiveram a cabeça cortada e a capital transferida para uma cidade a 76 km, Bangkok.

Budas sem cabeça no Templo Wat Chaiwatthanaran

Ir para Ayutthaya é como voltar no tempo e conhecer uma população muito religiosa com templos para todos os lados. A melhor forma de aproveitar a cidade é alugar um taxi (preço fechado) com algum tailandes que fale o mínimo de inglês (e será mínimo mesmo) por que esse é o legal. Ele vai te contar todas as curiosidades, te levar nos melhores templos, vai contar um pouco da religião e da crença deles. Foi realmente um dos pontos altos da viagem.

Ainda pegamos alguns trechos da estrada alagados (11/2011) devido a uma  grande enchente. 

Existem outras formas também de fazer o passeio, você pode ir de trem até Ayutthaya e alugar bicicletas ou tuks tuks para te levar. Só lembre de levar chapéu/boné e muito protetor solar, por que o calor é muito grande!!! ( e confesso que o taxi também foi conveniente por ter ar condicionado entre um templo e outro).

Templo Wat Worachetharan (repare nas oferendas aos pés do Buda)

Aliás uma coisa importante, para você não ficar frustrado, é achar que você vai conhecer todos os templos. Por que não vai. São inumeros e cada um com os seus atrativos.

Wat Yai Chai Mongkol, um dos principais templos de Ayutthaya

Eu tinha selecionado uns 4 que eu não queria perder de jeito nenhum, mas não precisei nem falar, o nosso motorista/guia nos levou para cerca de 15 templos durante o dia (incluindo os que eu fazia questão) e foi perfeito. Ainda tirou fotos, nos contou curiosidades, nos ensinou a fazer uma oferenda e foi um fofo!!! (ele foi indicação do hotel mas desculpa esqueci de pegar o contato dele e sei que você vão me matar, com razão por que ele era muito bom!).

Aprendendo a fazer uma oferenda:

Primeiro coloca-se a flor em um vaso, ascenda o incenso e cole o papelzinho

dourado (mentalizando os seus desejos) na miniatura do Buda deitado

Em um dia conseguimos visitar os seguintes templos:

Wat Chaiwatthanaran – Esse é dos principais templos e sua visita é imperdível. Porém, quando fomos tinha sido grandemente afetado pelas enchentes e era um dos poucos que ainda estava alagado, a travessia teve que ser feita através de um barquinho minúsculo, mas valeu o sacrifício.

Nosso barquinho e a água era super funda (no local é um grande gramado)

Por lá é possível ver todos aqueles budas sem cabeça que os birmaneses atacaram. Realmente é um templo que deixa qualquer um de boca aberta (vide primeira foto do post).

A água tomando conta de onde era um gramado e a entrada do templo

Wat Worachetharan – Apesar de não ser famoso, acho que foi um dos templos que mais gostei. Vale a visita.

Wat Worachetharan

Wat Ratchaburana 

Wat Yai Chai Mongkol – esse foi o primeiro templo que visitamos e considero um dos templos mais legais. É um dos templos que considero importante a visita.

Mergulhe na cultura e faça como os tailandeses: reverencie cada estátua principal de Buda que conhecer

Fileiras e mais fileiras com diversas estátuas de Budas

Wat Phanan Choeng – conheça a imensa estátua de Buda que atravessou séculos.

Wat Lokayasutharam – foi aqui que aprendemos a fazer nossas oferendas aos Budas

Nossas oferendas

Wat Phra Si Saphet

Wat Mahathat – esse é o ponto alto da visita a Ayutthaya e não deixe de colocar no seu roteiro. As imensas ruínas de um dos principais templos da cidade antiga. 

Existem inúmeros budas (muitos conservados como na foto e outros nem tanto), ruínas de inúmeros templos imensos e todos são bem sinalizados com placas informando o que você está vendo e até com um roteirinho para você seguir e não se perder. 

Mas o ponto alto mesmo está na entrada do templo, e volta a ser os budas com as cabeças cortadas e uma cabeça de Buda que, não se sabe como, se encontra envolta nas raízes que uma árvore imensa.

Close – Up: Ponto alto do templo Wat Mahathat

Wat Na Phrameru – esse templo teve grande importância durante a guerra com os Birmaneses, pois foi aqui que a força armada de Burma se instalou e por causa de um acidente acabou atingindo seu próprio rei.

Wat Na Phramane

Wat Phukhao Thong

Phra Chedi Si Suriyothai

Wanglang or The Rear Palace

The Rear Palace a esquerda e o Buda de 6 metros no Wat Na Phrameru

Alguns templos são rápidos de serem visitados e com entrada gratuita, pois se resumem a ruínas de alguns templos pequenos ou estátuas importantes, outros são pagos e demandam um pouco mais de tempo para a visita, pois eram os principais templos da cidade. Infelizmente não sei dizer o preço de cada templo, pois quando fomos a visitação estava sendo gratuita para todos os templos, devido a enchente de 2011 (Ayutthaya foi uma das cidades mais atingidas pela enchente e ficou diversos dias fechada a visitação). 

Importante também ir com um calçado confortável e fácil de tirar, já que em todos os templos é imprescindível que fique descalço para entrar. Além, é lógico, de beber muita água, levar chapéu ou boné e muito protetor solar, já que por lá o calor é muito intenso.

Não deixe de comprar também um amuleto feito e abençoado por monges dos templos, os tailandeses compram vários (1 de cada templo) e penduram em um colar que usam para trazer proteção.

Amuleto que compramos

• Nosso roteiro pela Tailândia

• Dicas de Hospedagens pelo país

• Circulando por Bangkok

• Os lindos templos de Bangkok

• Bangkok além dos templos

• Curtindo a noite de Bangkok

• A antiga capital da Tailândia: Ayutthaya!

Hoje é Valentine’s Day ou dia dos namorados em muitos países. Em comemoração, a Mirela (@mikix10) do Blog Mikix fez um post das 5 viagens mais românticas que ela fez com o maridão e resolveu soltar no twitter a idéia!!! É lógico que adorei, afinal tem algo melhorar para comemorar qualquer data do que uma viagem a dois?

Antes do casamento o stress do trabalho misturado com os preparativos da festa e da reforma do nosso apartamento estava tão grande que o marido (então noivo) resolveu me fazer uma surpresa e me levar para Fernando de Noronha. Chique né!? Foi perfeito viver 1 semana longe de tudo e de todos e só curtir nós dois sem se preocupar com nada.

Nossa lua de mel foi uma road trip pela Itália passando por lugares lindos, vinhedos e com uma parada em Paris com direito a piqniq na frente da Torre Eiffel durante o por do sol tomando champagne da região.

Nessa viagem foi minha vez de fazer uma surpresa para o maridão. O roteiro era para ser apenas a Nova Zelândia mas como o niver do Filipe caia no meio da viajem programei uma esticadinha surpresa até essa ilha paradisíaca no meio da Lagoa Azul em Fiji e terminou com um jantar na areia da praia a luz de velas coroado com um bolo e todo o hotel cantando HAPPY BIRTHDAY. Tudo combinado com o pessoal do hotel escondidinho.

Para comemorar nosso terceiro ano de casamento resolvemos fazer uma viagem em alto estilo. E a Tailândia foi a escolhida, um sonho nosso de anos (afinal faziam 3 anos que estávamos tentando ir para lá e não conseguíamos). Koh Phi Phi foi o auge, alugamos um long tail boat só para a gente e passávamos o dia inteiro em praias maravilhosas mergulhando e deitando ao sol. Lindo!

Todo ano gostamos de curtir o inverno em algum lugar do Brasil que tenha pousadinhas românticas. A Serra do Rio do Rastro até hoje foi imbatível. Passear pelos vinhedos e provar bons vinhos, curtir o friozinho e a neblina que a serra tem e depois ir para o quarto que tinha vista para um lago tomando um delicioso vinho de frente para a lareira privativa do quarto. Só tenho uma coisa a dizer: Saudades!!!

E as suas? Quais foram as viagens mais românticas que você já fez com o seu amor?

Sigam a Hashtag #ValentinesBlogCol para ver os posts de todos o que participarão

Happy Valentine’s Day!!

Blogs participantes:

–  Andarilho Mundo

– Arquivo de Viagens

– Carpe Diem

– MauOscar

Mikix no Mundo

– Trilhas e Aventuras

– Turomaquia

– Ziga da Zuca

/

Uns Tanto Outros Nada

Meus 7 links

A Tailândia é famosa pela sua hospedagem barata. Sim é verdade existem hotéis de U$5,00, U$3,00, U$10,00; principalmente nas praias. Bangalos a beira do mar, com rede, por preços irrisórios é o que mais tem por lá.

Infelizmente sou fresca assumida para hotéis, não tem jeito, e esses hotéis geralmente são bem simples mesmos. Vimos vários durante nossa estada por lá e os quartos geralmente tem: uma rede e uma cama; o banheiro pode ser ou privativo ou, então coletivo. Tudo bem simples. Alguns nem ventilador não tem (acredite no calor infernal da Tailândia faz diferença).

Foi então que resolvemos que iríamos manter o nosso orçamento em hotéis e ver o que achávamos e me surpreendi!! Conseguimos hotéis muito legais alguns com preços abaixo do que geralmente usamos para viagens e com localizações (ao meu ver) perfeitas.

Em Bangkok li muito a respeito de trânsito caótico e muito congestionamento. E realmente, quando você sai do aeroporto já sente o drama na pele. A viagem parece interminável com um tal de anda, para, anda, para constante. Além disso, tem o drama de motoristas de Tuk Tuk e de taxi mal intencionados. É preciso cuidar muito por lá. O que mais se ouve é de histórias de assaltos e sequestros relâmpagos e de você pedir para ir para um lugar e te deixarem em outro. Então, quiz evitar e procurar um meio alternativo de nos locomover pela cidade e achei os barquinhos.

Vi que todos os principais templos e lugares que eu queria visitar estavam próximos ao Rio principal da cidade, o Chao Praya. Então, por que não tentar achar um hotel a beira do rio, além de evitar ao máximo os taxis e fugir do trânsito insuportável, ainda teria vistas lindas.

Achei vários, mas um me chamou a atenção e foi o que ficamos: o Chatrium Hotel Riverside.

Pegamos o quarto com vista para o rio que é enorme e foi perfeito. O atendimento é ótimo, a comida do restaurante é uma delícia, internet free nos quartos, e o quarto ainda conta com uma mini cozinha se precisar.

A localização é um pouquinho afastada (nada que atrapalhe) e eles tem barco próprio que deixa, durante o dia e a noite inteira, no pier central (que tem conexão com a estação central do metrô e do skytrain) e que leva cerca de 10 a 15 minutinhos.

Barquinho Transfer levando ao pier central

Achamos perfeito!! O concierge também é super prestativo e todos por ali te atendem muito bem.

E olha esse por do sol da nossa varanda do quarto… não é de morrer?

Pagamos em torno de THB 4.600 a diária com café incluso

Piscina do hotel com vista para o Rio Chao Praya

Em Koh Pha Ngan tinhamos o problema de locomoção. Aliás se locomover nas ilhas da Tailândia é um problema. Por que as estradas não são nada boas e sempre se ouve algum acidente de turista com a motinha alugada. Então queria algum hotel que tivesse uma cidade por perto, mas que fosse calma o suficiente (já que por lá o que mais se tem são festas durante toda a semana), afinal queríamos tranquilidade.

E acertamos em cheio com o SARIKANTANG. O hotel fica a 10 minutos a pé do centro de Haad Rin (a segunda principal vila da ilha) e a 15 minutos a pé da praia (sunrise beach) que tem a maior festa do país, a Full Moon Party. Mas ao mesmo tempo a praia do hotel (sunset beach) é um sossego só. Não se escuta nenhum barulho do agito, mas você ainda tem opções de restaurantes, lojinhas e se quiser agito escolher uma das festas que a ilha tem durante toda a semana.

Nossa cabana pé na areia sob o céu estrelado

Esse hotel tem diversos tipos de quartos diferentes, desde quartos na beira da piscina com borda infinita, quartos mais simples em cima do morro. Escolhemos um  dos apenas dois quartos na beira da areia da praia.

O nosso bangalo tinha cadeiras privativas para a praia e uma banheira com vista para o mar simplesmente de morrer. Era ótimo acordar e dormir com o som do mar e dos passarinhos.

Pagamos o equivalente a THB 2800 / diários com café da manhã incluso e internet wifi free.

Essa ilha sim foi o lugar mais caro de todos. Tanto para comer quanto para se hospedar. Na verdade até os passeios por lá são mais caros.

Escolhemos o hotel Phi Phi Village Resort. Apesar do hotel ser longe da vila de Tonsai não é nada exagerado são cerca de 15 minutos de long tail boat ou então uma caminhadinha de cerca de 30 minutos através de uma trilha. Não tentamos a trilha, mas de long tail boat é bem tranquilo.

Hotel visto de fora

Conseguimos almoçar todos os dias por lá, porém no jantar já era mais complicado e acabamos ficando no hotel mesmo.

Nosso bangalo em Koh Phi Phi

Na verdade para você ficar perto mesmo do agito, apenas escolhendo um hotel dentro da vila, por que todos os outros são longe e requerem ou uma boa caminhada ou então o long tail boat; já que por lá não tem estradas e nem carros para se locomover.

A comida do hotel é boa mas nada espetacular, o café da manhã (que está incluso na diária) tem uma variedade incrível de tudo, desde frutas, a pãe, bolachas, queijos, sucos. Hummmm….

Frutas de boas vindas

Os quartos são bangalos também dividido em quatro tipos: o superior, a deluxe, a beachfront e as villas.

A diferença entre a superior e a deluxe se resume apenas ao tamanho do quarto ser um pouco maior e um pouco mais perto do mar. A beachfront é igual a deluxe porém de frente para a praia e com banheira no quarto e as Villas são quartos enormes em cima de um morro com uma vista incrível para o mar e cada vila conta com uma piscina privativa. Até uma recepção separada existe para esses quartos.

O hotel ainda conta com uma piscina de borda infinita linda e enorme, 3 bares (sendo um molhado) e cerca de 4 restaurantes.

Detalhes do quarto: flores em todos os lugares

Um restaurante apenas para café da manhã, um restaurante que serve almoço a la carte e jantar em forma de buffet (apesar de ter o la carte também), outro de BBQ de frutos do mar (imperdível e o melhor do hotel na minha opinião, além de ser mais barato) e outro chiquérrimo que exige trajes mais formais e reserva antecipada.

Pegamos o quarto mais barato (superior) por cerca de THB 6.800 (com café da manhã) e já achei ótimo. O quarto tem um tamanho perfeito e uma cama deliciosa.

O único defeito é a mesquinharia de cobrar a internet. Apesar de eu não achar caro (era cerca de THB 60 por 30 minutos), a internet só pegava no lobby e recepção. Muito ruim em todos os aspectos.

\

\

Nosso roteiro pela Tailândia

• Dicas de Hospedagens pelo país

Circulando por Bangkok

Os lindos templos de Bangkok

Bangkok além dos templos

Curtindo a noite de Bangkok

A antiga capital da Tailândia: Ayutthaya!

• Como chegar até as ilhas tailandesas

• Como explorar Koh Pha Ngan

O paraíso do Golfo da Tailândia: Koh Nang Yuan

• O aperitivo de Koh Phi Phi: Mosquito & Bamboo Island

Então que acabei de riscar mais um destino da minha imensa Bucket List. Há anos tento ir para a Tailândia, mas por um motivo ou outro nunca dava certo.

Porém esse ano consegui uma super promoção voando pela Turkish Airlines que foi simplesmente imperdível e irrecusável; com as passagens compradas, vieram as chuvas fortes e enchentes que ocorreram pela cidade de Bangkok e me deixaram meio apavorada, mas como esperança nunca morre, e o maridão incentivando, resolvemos manter os planos e arriscar.

Claro que como boa louca por planejamentos já estava pensando em mil alternativas e cidades que poderíamos recorrer no caso de Bangkok não ter se recuperado. Mas para minha felicidade abri as notícias na manhã da nossa viagem e  li que tanto Bangkok quanto Ayutthaya (a minha maior preocupação) estavam quase que completamente livres da enchente. Ufa!!!

Alguns pontos de Bangkok ainda estavam alagados

E lá fomos nós… e que viagem!!! Foram 15 dias simplesmente perfeitos e inesquecíveis. Tanto que já fiz novos planos para o país e pretendemos voltar tão logo a gente consiga.

E então, nosso roteiro ficou igualzinho tinha programado durante todos esses meses:

Nossa primeira parada foi a linda Bangkok (A), a cidade dos mil templos. Todos lindos, com pedrinhas espelhadas cravejando todos os prédios do templo que, assim que o sol bate, brilham. Lindissímo! Não tem como entrar em um e não ficar de boca aberta.

Wat Arum em Bangkok

Logo em seguida fomos a antiga capital da Tailândia destruída por uma guerra com os birmaneses e hoje tombada pela Unesco. Não tem nada que descreva Ayutthaya (B), só mesmo indo e conhecendo… as ruínas, os budas sem cabeça, a história. Um dia inteiro passa voando.

O único templo em Ayutthaya ainda alagado

Outro passeio de um dia foi a Damnoen Saduak (C) onde fica o mais famoso mercado flutuante, que apesar de ainda usado pelos locais já está dominado por bugigangas para turistas, e onde também fizemos o passeio inesquecível de elefante.

De lá (como bons ratos de praia) seguimos para as ilhas ao sul da Tailândia. E, além disso, queríamos descobrir e desvendar as duas costas do país; o mar de Andaman, onde fica Phuket e Koh Phi Phi, mas também o Golfo da Tailândia (Koh Samui e Koh Phangan).

Koh Samui vista do avião

Como essa era a grande viagem do ano em comemoração aos nossos 3 anos de casados, queríamos algo mais romântico e mais recluso, foi então que decidimos que nos concentraríamos em ilhas menores e fugiríamos das povoadas e sempre procuradas: Koh Samui e Phuket ou Krabi. É claro que existem ilhas menores ainda e talvez muito mais românticas, porém também queríamos um mínimo de infra estrutura, foi então que decidimos por Koh Phangan e Koh Phi Phi.

Koh Phangan (D) é conhecida mundialmente pela famosa festa Full Moon Party que acontece todos os meses durante a lua cheia. Ai vem a pergunta: “Mas vocês não queriam sossego?” Sim.. e foi exatamente o que achamos no hotel onde ficamos. Ele fica longe o suficiente da muvuca (super sossegado e silencioso), mas com todo o conforto que queríamos e procurávamos, e ainda com praias paradisíacas. E a possibilidade de passar o dia em Koh Nang Yuan (E)

Koh Phi Phi (F) é famosa e muito procurada, mas a maioria visita a ilha com um roteiro de 1 dia saindo da famosa Phuket. Koh Phi Phi é, na verdade, um arquipelago formado por algumas ilhas e uma mais linda que a outra, com suas águas cor esmeralda e seu mar lotado de peixes. Simplesmente um sonho de ilha… ficamos todos os dias pulando de ilha em ilha, fazendo snorkel e simplesmente estirados ao sol.

Maya Beach em Phi Phi

Não é a toa que a Tailândia é a terra do sorriso, as pessoas estão sempre felizes, sorrindo, não importa se estão com a sua cidade ou casa alagada, o sorriso não sai do rosto das pessoas. Dias repletos de templos de tirar o fôlego, massagens tailandesas, praias paradisíacas e pessoas simpáticas… hum… já estou com saudades.

E as enchentes? Bom… que enchente?

Vai uma Singha? Ou Chang?

«

P.S.: Sawasdee – kaa é um comprimento thai, em todo lugar que se entra a saudação é sempre a mesma.

• P.S. 2: Observe o procedimento de entrada do país nesse post. Economize tempo na imigração!

\

\

• Nosso roteiro pela Tailândia

Dicas de Hospedagens pelo país

Circulando por Bangkok

Os lindos templos de Bangkok

Bangkok além dos templos

Curtindo a noite de Bangkok

A antiga capital da Tailândia: Ayutthaya!

• Como chegar até as ilhas tailandesas

• Como explorar Koh Pha Ngan

O paraíso do Golfo da Tailândia: Koh Nang Yuan

O aperitivo de Koh Phi Phi: Mosquito & Bamboo Island

Quer falar comigo???

carpediem.blog@hotmail.com

Destinos

Redes Sociais

Twitter Button from twitbuttons.com

O Carpe Diem também faz parte do…

portal
bloglovin

Campanhas!

Mais fotos...