You are currently browsing the category archive for the ‘Rotorua’ category.

Sim… a principal atração de Rotorua são os parques geotermais, porém nem só de enxofre vive a cidade.

O centro é uma graça, isso incluindo o centro de informações turísticas, com uma igreja anglicana delicada. Um city tour, que pode muito bem ser feito a pé ou de carro,não demorará mais que uma tarde. Com certeza!

Fonte: http://www.mappery.com

Começe perto do War Memorial com uma volta no Lago Rotorua , um imenso lago de origem vulcânica e cheio de cisnes cinzas lindos!


Vá caminhando e aproveitando a paisagens, se for de manhã cedo tire um tempo para tomar café da manhã em muitos dos cafés que existem ali.

Lago Rotorua

Contornando o lago dará de cara com o Government Garden, lindo!!! Como já contei aqui esse foi um dos primeiros prédios turísticos de Rotorua e era na verdade um spa que se aproveitava das águas medicinais da região.

Hoje o prédio todo reformado virou um museu e vale muito a pena a visita para quem gosta de história. Ele conta um pouco das guerras que a Nova Zelândia, do surgimento da cidade de Rotorua (conforme contei aqui)  e um pouco sobre o prédio. Bem legal mesmo!! É um museu pequeno, não vá esperando um Louvre da vida, mas achei bem interessante.



E os jardins, ahhh os jardins que lindo!! Flores de todos os tipos de cores, a sua direita está o Blue Baths que hoje também é um spa de águas termais naturais. E passeando pelo jardim você vai achar inúmeras fumarolas.


Seguindo um pouco mais o lago, vai encontrar o Polynesian Spa. Esse vale a pena viu?! São banhos termais deliciosos. Eles possuem vários tipos de banhos e massagens. Os banhos tem desde a área familiar com piscinas com tobogãs para crianças e etc até salinhas privativas com e sem vista para o lago. Além de várias piscinas enormes de vários tipos porém públicos. O preço vai depender do que você escolher.


Nós pagamos NZ$ 26,00 por pessoa para a piscina privativa com vista para o lago, se for analisar não é caro e é um ótimo relaxante depois de um dia de andanças pela cidade. E apesar de sairmos de lá cheirando enxofre foi uma delícia.

Nossa piscina privativa no Polynesian Spa com vista para o lago

Para conhecer a cidade de cima, um pouco mais longe, mas nem tanto é de cima do Mount Ngongotaha (um antigo vulcão) onde na metade está o Skyline Skyrides. A vista é bem legal e dá para ver a cidade toda. A subida é através de gôndolas para aproveitar bem o passeio, a descida pode ser feita do mesmo jeito ou se você gosta de adrenalina tem os luges, espécies de trenó que descem em toda a velocidade. Parecem ser bem legais.

A gôndola

Lá em cima tem um restaurante onde é possível fazer todas as refeições do dia, uma lojinha de souvenirs (a lojinha é mais cara lógico mas dê uma olhada com carinho pois vi algumas coisas bem legais e que não achei em loja nenhuma) e mais alguns esportes radicais como luges, um skyswing (que e uma espécie de pêndulo gigante para duas pessoas) e um teleférico.


Viu?! Não falei que Rotorua era muito mais que cheiro de ovo podre?!

• Introdução a Rotorua

• As áreas geotermais

Bate e volta de Rotorua:

• Taupo

• Cavernas de Waitomo


Anúncios

Rotorua foi sem dúvida alguma o ponto alto da nossa viagem a Nova Zelândia.

A gente, principalmente quem mora no Brasil, ouve falar muito de furacões, vulcões e etc mas acho que é muito difícil realmente compreender a dimensão de tudo isso. Mas vendo de perto uma cidade que tem um lago lindo e atividade vulcânica para todo o lado ajuda a compreender um pouco.

Confesso que se morasse lá teria um pouco de pavor, por que a cidade parece estar prestes a explodir a qualquer momento; e digamos que o cheiro de ovo podre também não ajuda muito.

Ir até lá e não conhecer pelo menos algumas áreas termais e um pecado. É lá que você realmente entende que a Terra está viva (e como!!!) logo embaixo de você e o quanto ela é poderosa.

Existem diversas áreas termais, mas nós resolvemos ir a apenas duas (até por que chega um hora que tudo é igual ne?!) : Te Puia (que também tem apresentações Maoris que são imperdíveis) e Wai-O- Tapu.

Se você for fazer esses mesmos lugares é importante ir primeiro bem cedo ao Wai – O – Tapu. É lá que você vai ter o seu primeiro contato com os gêisers, a exatamente 10:15 da manhã. Por isso chegue cedo, Wai – o -tapu fica a mais ou menos 30 minutos.

O gêiser Lady Knox e seu erupção é na verdade um show a parte. Isso por que na verdade ele não explode espontaneamente as 10:15 e sim é colocado uma espécie de detergente que causa essa reação e a consequente erupção. Realmente um show!!! Apesar de ser bem legal… fiquei um pouco frustada pela “trapaça”. Você tem a opção de comprar o ticket só para o gêiser ou para o passeio todo… e vou te dizer vale a pena conhecer o parque termal inteiro.

Há muitos buracos com fumaças, lamas borbulhantes, argilas de todas as cores possíveis, piscinas termais, rochas de silicas por todos os lados e o ponto alto foi o Artist’s Palette. É um conjunto de várias piscinais termais, com águas quentes que criam cores lindas!!!!! Destaque para a Champagne Pool com a borda petrificada laranja!!! Ótimo para fotos… vá preparado.

Artist’s Palette

Champagne’s Pool

A área geotermal é enorme, mas o passeio passa bem rápido.

Já a área geotermal de TE PUIA imperdível, mas se informe antes para pegar o show dos Maoris… e conhecer um pouco desse povo tão fascinante.

Nós pegamos o show das 15:30, o último da tarde (depois só tem a noite com jantar incluso) e achei perfeito. O Te Puia (diferente do Wai-o-tapu que é longinho) fica bem na saída de Rotorua a uns 10 minutos do centro da cidade.

Ao chegar lá começa um show na casa de culto dos Maoris e é muito legal aprender um pouco da sua cultura. Eles fazem o ritual de boas vindas e explicam como a tribo deles sabe se a outra tribo está em paz ou em guerra. O comprimento oficial deles (dois apertos de mão e então encostam duas vezes os narizes, muito engracado!) e então vemos vários tipos de danças típicas deles.

Casa de culto

Cerimônia de Boas vindas

Cumprimento entre os Maoris

A dança que eles fazem antes da guerra ou competição que serve para intimidar o inimigo e também para pedir proteção. Olhos esbugalhados e língua para fora a dança é muito legal!! Dá até vontade de aprender.

Dança da guerra

P.S.: Vá com uma meia bem bonitinha por que dentro da casa de culto você vai ter que ficar descalço.

Depois do show é hora de dar uma volta pela área geotermal. Ver o gêiser Pohutu que erupciona umas 2 vezes por hora e nós pegamos bem na hora…e ahhh melhor: NATURALMENTE!!! haaha… nada de atiçá-lo. Vimos também lamas borbulhantes, hot seats, mas o mais legal é ver os kiwis.

Área geotermal de Te Puia

Os kiwis são aves noturnas bem típicas da Nova Zelândia que estão em extinção. Uma pena!! Mas por lá tem vários criadouros tentando reverter a situação. Como são aves noturnas o lugar onde os 2 kiwis (um macho e outro fêmea) estão fica numa sala bem escura pois assim eles revertem o hábito dos bichinhos para que os turistões como nós possamos conhecê-lo. A noite eles invertem e ascendem as luzes como se fosse de dia.

Foto da foto do Kiwi

Por isso fotos são extritamente proibidas… confesso que no começo é um pouco dificil de achá-los, e é incrível ver aquele bicão dele. DEMAIS!

Depois de tudo isso ainda aprendemos um pouco mais da cultura Maori. Eles tem como trabalho o artesanato em madeira (carving) que tem toda a sua tradição como olhos esbugalhados com conchas PAUA como olhos (pois dizem que é a coisa mais forte do corpo humano), 3 dedos significando alma, corpo e mente (em alguns tem o quarto dedo que é o espiritual) e etc. bem interessante.

Enfim vale muito a pena!!!

Mas aguarde o próximo post, afinal Rotorua é mais do que apenas uma grande área termal.

• Introdução a Rotorua

Os outros atrativos da cidade

Bate e volta de Rotorua:

• Taupo

• Cavernas de Waitomo


Welcome to Rotorua!!!

Antes de mais nada, antes mesmo de ir para Rotorua é importante entender sua história, como surgiu a cidade e por que ela é tão conhecida por sua atividade geotermal.

Rotorua era antigamente um vulcão. Sim um vulcão ativo, na sua última erupção a quantidade de detritos que foram expelidos do vulcão foi tão grande que fez com que a cratera desmoronasse e criasse um lago: O Lago Rotorua.

E o seu entorno todo e portanto a base do vulcão fosse sendo cada vez mais ocupado transformando-se em uma cidade. Uma cidade cujo magma terrestre está a apenas 40km de distância. Como se não bastasse a cidade está situada bem no meio entre duas placas tectônicas. Tudo isso faz com que essa cidade seja única.

As atividades vulcânicas estão presentes pela cidade inteira (assim como o cheiro de enxofre, a.k.a. “ovo pobre” que exala pela cidade toda). Durante uma caminhada tranquila pelo centro da cidade é possível encontrar várias fumarolas, bem como lamas borbulhantes. É incrível!

Fumarolas por toda parte da cidade

A presença geotermal é tão forte que na cidade e em todo o seu redor é possível visitar e ver de perto a força vulcânica. São inúmeras atrações geotermais como geisers, fomarolas, lagos azuis de sílica, lama borbulhante, piscinas de água quente e etc.

Inclusive durante muito tempo as águas termais de Rotorua eram usadas como medicinais, aliás ainda é; no Polynesian Spa é possível se banhar nessas águas quentes e sulforosas que dizem ser medicinais, porém em 1908 foi construído um prédio lindo onde foi inaugurado o Great Spa, onde tinham vários tratamentos usando essas águas sulforosas e as lamas borbulhantes.

Tratamentos com as águas sulforosas em 1908

Infelizmente esse Spa não existe mais isso por que a manutenção do lugar ficou inviável já que as águas sulforosas corroiam toda a tubulação. Porém o prédio ainda existe e é um ótimo lugar para se visitar e conhecer todo esse lado histórico da cidade: é o Rotorua Museum of Art and History.

Rotorua Museum, antigo Spa

Além de todo esse histórico termal, Rotorua é a cidade com maior influência Maori (primeiros habitantes da Nova Zelândia).

Por muito tempo os Maoris foram perseguidos e até houve uma tentativa de eliminar a influência de sua cultura no país. Porém, atualmente eles estão mudando essa visão. Nas escolas as crianças tem muito contato com crianças Maoris (pelo menos uma vez por semana onde aprendem o básico da língua), a TV Maori está presente também e há também, principalmente em Rotorua, diversos locais onde se pode visitar uma vila Maori e ter um contato, por menor que seja, com um pouco da cultura deles.

Influência Maori por todos os lugares

É bem interessante e vale a visita.

Durante os próximos posts vou descrevendo as atrações que existem mais detalhadamente. Aguardem as cenas dos próximos capítulos:

• As áreas geotermais

Os outros atrativos da cidade

Bate e volta de Rotorua:

Taupo

Cavernas de Waitomo

Quer falar comigo???

carpediem.blog@hotmail.com

Destinos

Redes Sociais

Twitter Button from twitbuttons.com

O Carpe Diem também faz parte do…

portal
bloglovin

Campanhas!

Mais fotos...