You are currently browsing the category archive for the ‘Barbados’ category.

Continuando com as praias de Barbados (aqui está a 1ª parte das praias), agora iremos sentido contrário. Seguindo de Accra Beach (A – que foi nosso ponto de partida) sentido Brigdetown.

Carlisle Bay (B):

Entrada do Estacionamento de Carlisle Bay

Essa praia, que já comentei aqui no blog, fica coladinha com Brigdetown e bem perto do porto. A praia é bonitinha (o Hotel Hilton fica nessa praia) mas realmente acho que vale mais a pena investir em outras das praias paradisíacas da ilha.

Carlisle Bay com vista para Brigdetown

No nosso último dia fizemos um passeio de barco por algumas praias e em Carlisle Bay  fizemos snorkel. Surpreendentemente foi muito legal!!! Nessa praia tem dois náufragos; um era um barco de eventos e festas e outro um barco clandestino que trazia drogas para a ilha. Além disso, a área está cheia de peixes coloridos e diferentes e até tartarugas.

1 Vista do barco da praia de Carlisle, ao fundo Hilton Hotel | 2 Foto do náufrago do barco de festas

3 Tartarugas ficam em volta do barco… | 4 assim como as dezenas de peixinhos diferentes

Esse snorkel é bem perto da praia em si, então nem precisa fazer o passeio de barco, apenas nadando é possível fazer esse snorkel.

Brandon Beach (C):

Brandon Beach

Passando Brigdetown, Brandon Beach é a primeira praia e se destaca no visual. Linda, com água verde esmeralda, espaço para estacionar amplo, e até banquinhos e mesas para um piqniq. E ainda com vista para Brigdetown

Payne’s Beach (D):

Uma das praias mais bonitas da ilha, após Crane Beach. Cheia de mansões, casarões, hoteis exclusivos e reservados, restaurantes bacanudos. Lindo demais. A partir desse ponto as águas são mais calmas, ótimas para banho e snorkel. Acho que melhor do que falar é mostrar as fotos.

Mansões vista do mar

Essa praia é mais escondidinha, então para chegar até Payne’s Beach siga de Brigdetown sentido Holetown quando perceber as casas grandes e bonitonas e muitos restaurantes charmosérrimos pare, estacione o carro e caminhe até a praia por entre os prédios.

Aqui também tem belas opções de hospedagem. Além de uma linda praia, estará na parte mais bonita da ilha e com ótimas opções de compras (por estar bem perto de Holetown) e de restaurantes; porém também uma das partes mais caras da ilha.

Holetown (E)

Esse lado oeste da ilha, após a capital, tem um ar meio europeu, diferente do ar agitado e prédios caindo aos pedaços de Bridgetown. Por essa região é onde ficam as lojas de marca, comércio mais legal e até com uns shoppings bacaninhas.

Chegando em Holetown

Mais legal do que gastar tempo na areia dessa praia, aproveite a tarde para fazer compras por aqui. Em Holetown tem várias agências de turismo para agendar passeios e até day trips para outras ilhas do Caribe. Para compras, exitem lojas duty free que são o máximo, com marcas bacanas a preço melhores ainda. Não sabia que por ali existiam essas lojas e entrei por curiosidade, não preciso nem dizer que sai carregada de sacolas né!? Realmente vale a pena.

Ao sair da cidade, a pitoresca igrejinha de São Franscisco

Mullins Beach (F):

Entrada da praia e do clube exclusivo

Praia numero 3 no meu raking. Por ser mais afastada é bem mais calma e sem multidões de pessoas. Nesse lado da ilha como as águas são mais tranqüilas é ótimo para um mergulho. E ainda com um restaurante na beira da areia delicioso para não perder nem um segundo dessa paisagem linda.

Praia de Mullins e a entrada do restaurante

Mullins Beach é uma faixa de areia pequena e ótimo para passar um fim de tarde tomando um drink do clube que existe na praia e que serve coquetéis e aperitivos na beira da praia.

E as cadeiras de aluguel em Mullins

Como deu para perceber reservamos nossos dias em Barbados para conhecer o que a ilha tem de melhor: suas praias.

Claro que não conseguimos ir em todas, mas acredito que conseguimos cobrir as mais bonitas e mais legais da ilha, sendo 1 semana mais do que suficiente para atingir todas as áreas.

Enfim, Barbados vale muito a pena, com vistas e praias incríveis.

• As primeiras impressões

• Dirigindo em Barbados

• Dicas de restaurantes

• Bridgetown – a capital

• As praias (parte I)

• As praias (parte II)

•• O blog foi destaque no portal eletrônico Visite Barbados (para ver o post clique aqui)

Anúncios

Barbados tem praias para todos os gostos. Tem praias para descansar e aproveitar o sol, praia para surfar, praia para mergulhar e achar naufrágos. Praia sem onda para crianças, praias com ondas.

Como já disse aqui no blog, alugamos um carro e fomos explorar a ilha. Se não parar em nenhuma praia consegue percorrer Barbados inteira em 1 dia.

Porém como queríamos explorar as praias e tínhamos 1 semana para fazer o roteiro inteiro, fomos parando e aproveitando as diferenças de cada praia. Abaixo fiz um pequeno resumo de cada praia que passamos e o que mais gostamos. (começei pelas praias que ficavam em direção ao Accra – Aeroporto)

Accra Beach (A):

Praia de Accra Beach

Como ficamos em Accra Beach, então todo o nosso planejamento partiu de lá. A praia é uma delícia com ondas pequenas, cor verde esmeralda. Além de alguns hotéis por lá ainda existe uma Sidewalk de madeira de frente para o mar cheio de barzinhos e restaurantes deliciosos a poucos metros, inclusive o novíssimo Tapas, que eu já escrevi por aqui.

Acho que por isso que gostei tanto dessa praia, podíamos ir a pé que de todos os lados tinham belas opções de café da manhã (somos adeptos a tomar café da manhã fora do hotel, então era uma mão na roda), almoço e jantar; além de acordar com uma vista linda para o mar.

Oistins (B):

Seguindo para o lado contrário da capital Brigdetown, sentido aeroporto, seguimos pela estrada que margeia o mar e paramos em Oistins; uma vilinha de pescadores, com o mar também esverdeado lindo!!! 

Com um trapiche propício para fotos. porém não achei um lugar legal para banho justamente por causa dos pescadores e da estrada bem rente ao mar; mas por ali fica Lawrence Gap, um local para quem quer agitação, cheia de lojinhas e feirinhas, além de barzinhos que ficam até tarde abertos. 

Se estiver de carro, até o Oistins é legal pegar a estrada que segue o mar, tem vistas lindas que valem a pena.

O difícil nessa estrada é se concentrar no trânsito

Crane Beach (C):

Chegada a Crane Beach

Essa sim é “A” praia de Barbados, na minha opinião a praia mais bonita de lá. 

O principal motivo é por que não é tão fácil assim chegar até lá. Além de ter que desviar da rua principal e entrar em uma secundária bem estreitinha (onde Graças a Deus não entram ônibus lotado de turistas); ainda tem a dificuldade de chegar propriamente na praia, pois é preciso caminhar sobre pedras improvisadas.

Caminho sobre as pedras para chegar até a praia

Adorei, passamos o dia inteirinho por lá!! Na ponta perto da entrada da praia é a parte mais calma, tranquila e deserta da praia. Para mim a parte perfeita. Caminhando até o final você encontra as cadeiras do Condomînio / Hotel Crane Beach… mais lotadinho, mas também nem tanto.

O legal é que você pode aproveitar a estrutura de restaurantes/ bar/ lojinhas do Condominio mesmo não estando hospedado por lá. Mas o que vale mais a pena mesmo é a vista!!! Como o Condomínio fica situado em um defiladeiro sobre a praia, a vista é incrível e com certeza vale pelo menos a passadinha.

A vista do alto da Crane Beach

• A partir de Crane Beach inicia-se uma parte de paredões imensos com o mar lááá embaixo, não achamos acesso à praia, mas sim faróis mau cuidados e vistas espetaculares do mar.

Bath Beach (D)

Praia com ótima infra estrutura

Até chegar a Bath Beach. Uma praia com MUITA infra estrutura. Banheiro, barzinho, local para piquiniques. Muito legal mesmo. O mar é muito agitado, com ondas fortes. Aqui a cor do mar já deixa de ser o verde claro e passa a ser de um azul bem escuro. Com árvores por todos os lados e uma faixa pequena de areia. Gostei muito dessa praia também, com uma paisagem incrível e completamente diferente do que tínhamos visto até então.

• Bathsheba (E)

Essa praia é uma das mais famosas por ser lá onde existe um dos cartões postais de Barbados. A enorme pedra cuja base foi totalmente escavada pelo mar e é impressionante saber como ainda se sustenta em pé. Existem várias delas pela praia inteira, mas a maior é incrível.

Apesar de ser bem famosa, não achei muita infra estrutura. As poucas lojinhas e restaurantes que existiam estavam fechados. Mas mesmo assim existiam alguns artesões na rua vendendo souvenirs.

A praia em si é bem bonita e diferente de tudo, porém não atrai muitos banhistas (talvez por isso a falta de infra estrutura) já que a praia é cheia de pedras, que impedem um pouco a entrada no mar. Além disso o mar é bem agitado, bom para o surfe. 

As famosas pedras de Bathsheba

• OBS: Nas praias de lá não tem cadeiras ou guarda-sol disponível, mesmo quando existe cadeira de restaurante o mesmo deve ser alugado. Em todas as praias existe essa facilidade e o preço fica na média de US$ 10,00 duas cadeiras e um guarda sol durante o dia inteiro.

• As primeiras impressões

• Dirigindo em Barbados

• Dicas de restaurantes

• Bridgetown – a capital

• As praias (parte I)

• As praias (parte II)

•• O blog foi destaque no portal eletrônico Visite Barbados (para ver o post clique aqui)

A única cidade mesmo de Barbados é Bridgetown… todo mundo fala que o aeroporto fica ali mas na verdade é até meio longinho.

Realmente não gostei muito da cidade, acho que vale o passeio, até para entender um pouco mais desse povo tão gentil, mas o forte mesmo de Barbados são as praias, sem dúvida.

Para quem está situado nas praias do oeste a primeira visão que se tem de Bridgetown é bem lindinha… aconselho inclusive parar na praia do porto, Carlisle Bay, que é lindinha e tem uma vista bem legal da cidade.

Carlisle Bay e a vista de Brigdetown

Se estiver de carro, vai dar de cara com o Portão da Independência (the Careenage), em estilo chinês e que dá acesso as atividades comerciais marítimas, como passeios de escunas, barcos menores…

Arco da Independência

Do outro lado tem um local bem legal para dar uma voltinha pelo porto

Cruzando o arco e no final do Boardwalk se vê a praça principal da cidade, a National Heroes Square, onde existe a The Lord Nelson Statue , antes conhecida como Trafalgar Square foi renomeada em homenagem aos heróis de Barbados

Atravessando a rua, fica o prédio mais bonito, o Parlamento… Realmente o prédio é muito lindo, e ainda está em funcionamento. O melhor de tudo é que o Parlamento tem tours guiados nas quartas e sextas. Infelizmente fiz o passeio na terça e não conseguir visitar, mas o prédio é tão lindo por fora que acredito que uma passadinha no tour guiado valha a pena também e ali ainda tem dois museus para você arrematar o passeio de vez.

Vista do Parlamento do National Heroes Square

O lindo prédio do parlamento

Seguindo a rua, você cai na principal rua comercial de Bridgetown, Board Street.  Por lá você encontra diversos tipos de shoppings, lojas e tudo mais o que queira. Achei realmente uma bagunça e nem quiz fazer compras por ali. Mas vi que tem lojas bem famosas, como MAC, Louis Vitton, Chanel e etc. Lembrando que por lá as lojas fecham todas lá pelas 16:00 hrs.

Realmente não gostei de fazer compras por ali, achei as ruas sujas, muita gente em cima de você, oferendo taxi e passeios, fiquei realmente incomodada, preferi guardar para os free shops e o Duty free maravilhoso da praia de Holetown.

Board Street – a rua comercial

Seguindo mais para frente fica a Catedral St. Michel. Juro que quando li sobre a catedral achei que fosse uma igreja enorme, na verdade é uma igreja bem pequena, mal conservada na fachada (apesar de que se fosse restaurada seria linda!) e por dentro ainda mais decadente, cercado por um cemetério. É uma pena a má conservação de um prédio que com certeza tem uma riqueza em histórias para contar.

St. Michel’s Cathedral

Voltando para as praias do oeste ainda tem a Casa de George Washington. Quando George Washington (sim aquela figura dos EUA) virar  o primeiro presidente de uma mega nação, ele acompanhou o primo doente até Barbados (os médicos diziam que oa ares dos trópicos fariam bem a doença) e se hospedou nessa casa que hoje virou um museu. Infelizmente por causa do horário não consegui visitar (também fecha as 16:30 como tudo) mas passei pela frente.

Ali em volta também ficam os prédios militares de Barbados, com suas lindas fachadas vermelhas e com uma série de canhões em sua volta.

Acima, um dos prédios militares e abaixo a residência do 1o presidente dos EUA

Além desses pontos turísticos, ainda são famosos a Sinagoga de Barbados e seu cemetério.

A cidade é muito caótica, não encontrei pedintes mas também não me senti segura, pelo contrário, achei muito inoportuno os taxistas ficarem atrás de você o tempo todo (muitas vezes até nos seguiam). Não gostei. Também não achamos nenhum restaurante que valha a pena comentar. Entretanto acho que vale muito a pena um passeio pelo centro da cidade, além do prédio do Parlamento (que para mim é imperdível)  e da Catedral de St. Michel é muito interessante ver como a cidade funciona, dá perfeitamente para entender um pouco do povo dessa linda ilha. Mas não perca mais que 1 tarde por lá, as praias realmente serão o ponto alto da viagem.

As primeiras impressões

• Dirigindo em Barbados

• Dicas de restaurantes

• Bridgetown – a capital

• As praias (parte I)

• As praias (parte II)

•• O blog foi destaque no portal eletrônico Visite Barbados (para ver o post clique aqui)


Geralmente não faço muitos posts sobre os restaurantes que vamos nas viagens. Por que na verdade nunca procuramos um restaurante renomado ou algo assim. Simplesmente vamos em algum restaurante que já está no roteiro do passeio, seja por que é perto ou por que simpatizamos com o lugar. Nenhum lugar em especial.

Apesar de fazer a mesma coisa descobrimos que Barbados tem inúmeros restaurantes e cantinhos deliciosos. Com comida boa, diversão e ambiente delicioso. Temos 3 opções que realmente marcou e acho que vale a pena dividir aqui com vocês.

Nós ficamos na praia de Rockley Beach (ou Accra Beach) e logo ao lado descobrimos o Boardwalk (aguarde post) que nada mais é do que uma espécie de calçada que contorna a praia (me lembrou a de Jurerê Internacional em Floripa), fomos passeando, tirando inúmeras fotos e foi quando nos deparamos com esse charmoso restaurante.

O Tapas é na verdade uma espécie de restaurant-bar você consegue comer tanto no bar como em mesas. A especialidade deles, como o próprio nome diz, são os inúmeros tapas, que são comidas estilo finger foods (sabe aquelas porções pequenininhas?) porém tem pratos grandes também.

O astral não poderia ser melhor, eles têm inúmeros drinks (inclusive caipiroska – adorei por sinal) e os barmans são figuras a parte. Na parte do bar luzes piscam e do lado de fora tochas com fogos iluminam o local. Uma delícia.

A dica mais importante é reservar, o restaurante é novo mas já foi descoberto tanto pelos turistas quanto pelos próprios locais e a espera pode ser longa. Mas tente ir em um final de semana a noite, sábado ou domingo, onde o lugar é ainda mais animado.

Em Mullins Beach tem outro cantinho super agradável, o restaurante com o mesmo no da praia (Mullins Bay Restaurant) é praticamente na areia da praia. Com um cardápio bem gostoso e comidinhas leves que tem tudo a ver com um almoço na praia.

E a minha última dica fica por conta do Daphne’s. Em uma das praias imperdíveis da ilha: Paynes Bay. Olha a vista do almoço:

Preciso dizer mais alguma coisa?? O lugar também é um charme e acredito que a noite seja uma opção mais chique. A comida também foi uma delícia, comemos um spagetti com lagosta simplesmente divino.

Ao lado do restaurante, tem um hotel que achei demais (pena que não descobri antes) chama-se The House (são deles essas cadeiras azuis que aparecem na foto), o hotel é pequeno e bem reservado, vale a pena a consulta.

As primeiras impressões

• Dirigindo em Barbados

• Dicas de restaurantes

• Bridgetown – a capital

• As praias (parte I)

• As praias (parte II)

•• O blog foi destaque no portal eletrônico Visite Barbados (para ver o post clique aqui)

Bom.. chegando em Barbados procuramos logo alugar nosso carrinho já que essa é a melhor forma da ilha ser explorada.

Existe transporte público (leia-se ônibus) e vi muitos turistas o usando, além disso existem muitos (muitos mesmo!!) pontos de ônibus espalhados pela ilha inteira (tem praias que a cada 100 metros tem um ponto) mas achei o sistema meio confuso… além do que preferimos o conforto de poder ir e parar aonde a gente quisesse para poder tirar fotos e aproveitar a praia.

A primeira providência foi achar uma locadora, os preços são praticamente os mesmos e quanto maior o carro mais caro o preço (obviamente!!), dito isso, existem carros bem pequenos mesmo (parece de brinquedo, coisa mais fofa!!) e que são bons para desfrutar a ilha (aliás cheguei a uma conclusão: em Barbados quanto menor o carro melhor, já que muitos acessos para praias são bem estreitos e difícil de estacionar). No nosso caso o hotel em que estávamos nos ajudou com essa etapa e alugamos na First Choice.

Achei o serviço muito bom, vieram deixar o carro no hotel, o carro era novinho com ar condicionado (imprescindível no meu caso) e automático, e depois vieram pegar tranquilamente. Eles também emitem na hora a licença para dirigir que o país exige (no valor de $5) .

Aliás essa licença é exigida mesmo tendo a licença internacional para dirigir e não é toda locadora que tem permissão para emitir. Nesse caso você tem que se encaminhar até o Departamento de Trânsito para emití-la.

Em Barbados se dirige pela direita, ou mão inglesa, portanto não esqueça de pedir por um câmbio automático (a adaptação é muito mais fácil) e as mesmas dicas que dei no post da Nova Zelândia se aplicam aqui também.

Após esses procedimentos burocráticos seguimos em direção as praias… certo?!!? Errado!!! Tinhámos um outro problema como chegar até as praias??? Não tínhamos GPS e contávamos apenas com um mapa entregue pela locadora… que vamos e venhamos… não ajudava muito.

Mas até que nos viramos (relativamente) bem, porém tem que ficar ligado nas indicações das ruas nos postes de luz e também nas raras placas que ficam nas estradas. Além disso quando se chega em uma praia tem uma plaquinha (pequena) branca indicando o nome da praia e o acesso a ela.

Existem poucas auto vias (acho que só umas 4 na ilha inteira) e esse é o modo mais rápido de se atravessar o país inteiro, porém não é o mais bonito. As estradas secundárias são as mais bonitas com vistas de perder a concentração de qualquer motorista. É um pouco confuso mas com certeza vale pelo menos a ida por essas estradas que vão margeando o mar caribenho.

Outra dia importante é tomar muito cuidado com os seus pertences. Por lá a primeira letra da placa sempre indica que tipo de automóvel é aquele. Os ônibus a placa começa com a letra B, os taxis com a letra Z, e os carros alugados com a letra H; e ainda sempre tem o adesivo da locadora do carro.

Portanto todos ali vão saber que o seu carro é alugado e muito provável de turista. Esse fato pode ajudar, os locais são mais pacientes com você no trânsito além de te ajudarem, porém pode também te atrapalhar, já que qualquer espertinho sabe que ali tem uma pessoa que não conhece a ilha direito. Portanto todo cuidado é pouco.


Peça informações em lugares confiáveis, como hotéis, restaurantes, postos de gasolina e etc; e sempre mesmo leve todas as suas coisas com você, não deixe nada no carro.

Entre no clima da ilha, lá eles são extremamente educados no trânsito e respeitam muito o pedestre. Sempre param para o mesmo passar, não importa se não tem sinaleiro ou se o pedestre está atravessando fora da faixa.

No mais é só aproveitar essa ilha maravilhosa!!! Com carro fica bem fácil chegar nas praias mais distantes e de difícil acesso, além do que é possível dar a volta na ilha inteira em apenas 1 dia.  Uma delícia!

«

As primeiras impressões

• Dirigindo em Barbados

• Dicas de restaurantes

• Bridgetown – a capital

• As praias (parte I)

• As praias (parte II)

•• O blog foi destaque no portal eletrônico Visite Barbados (para ver o post clique aqui)

Acabamos de voltar de Barbados para o Carnaval… e vou dizer que me surpreendi.

Já falei que adoro bandeiras?? É a identidade do país!!

O povo muito comunicativo e educado… aliás educado ao extremo, até parar o carro no meio da rua para o pedestre passar (mesmo sem ter faixa) eles param… coisa de gente civilizada.

Por falar em dirigir, foi engraçado pois por lá se dirige na direita e não conseguimos achar GPS para aluguel portanto foi uma aventura e tanto… Sem falar na ausência de placas, mas isso é assunto para outro post.

País dos apaixonados pelo rum (aliás que coisa mais ruim!!), com praias e vistas divinas e que sem dúvida lhe dá méritos de ilha caribenha. Muito sol, mar, beleza e com apenas 400 km2 demos volta em praticamente a ilha toda em apenas 1 dia!!! Além do turismo e do rum, no interior se encontra muita plantação de cana de açucar e refinarias…

Brinde com Rum

A fala é de um inglês completamente britânico, as vezes até incompreensível de tão carregado e sua capital, Brigdetown, não é das mais bonitas e não tem atrativo nenhum.

Mas o forte mesmo de Barbados são as praias… e que praias!!! De cair o queixo e deixar qualquer um de boca aberta. Mar verde esmeralda, que de vez em quando se transforma em azul profundo, as águas são das mais límpidas. Incrível!!!

Crane Beach

E ainda existem para todos os gostos, se quiser praias mais calmas, no estilo baía, praias como Accra, Mullins Beach, Payne’s Beach no Oeste do país são perfeitas para você; porém se quiser praias com mais ondas e voltadas para o surf as melhor ficam do lado leste (Bathsheba, Baths entre outras…)

Portanto pegue a sua Banks (cerveja regional “bajan”) e aproveite com a gente um passeio pelas belissímas praias de Barbados.

• As primeiras impressões

Dirigindo em Barbados

Dicas de restaurantes

Bridgetown – a capital

As praias (parte I)

As praias (parte II)

•• O blog foi destaque no portal eletrônico Visite Barbados (para ver o post clique aqui)

Foto e Dica: Relaxar nas areias de Mullins Beach e almoçar no pé da areia Mullins Beach Restaurant.

Cidade: Mullins Beach em Barbados


Quer falar comigo???

carpediem.blog@hotmail.com

Destinos

Redes Sociais

Twitter Button from twitbuttons.com

O Carpe Diem também faz parte do…

portal
bloglovin

Campanhas!

Mais fotos...