Como disse no post anterior, a melhor forma de se explorar Mendoza é escolher vinícolas da mesma região (as 3 principais são: Lujan de Cuyo, Maipu e Valle de Uco) para um dia. Isso por que as regiões são distantes entre si e podem demandar muito tempo gasto em deslocamento.

Lujan de Cuyo

Sendo assim, para o nosso primeiro passeio nos vinhedos escolhemos a região mais conhecida e visitada por lá: Lujan de Cuyo. Escolhemos 3: Catena Zapata por ser o vinho favorito aqui de casa, Pulenta pela propaganda feito pelo mestre Riq Freire e também pelo nosso remis Ariel e a Chandon por que eu particularmente adoro um espumante e queria ter uma perspectiva diferente (já que muitas das bodegas da cidade não produzem espumante ou não dão ênfase ao espumante nas suas visitas).

|

|

Chegando na bodega Catena Zapata

Meu marido adora os vinhos da Catena e estava louco para conhecer a bodega. Ao chegar você já se depara com uma plantação infinita de uvas. Realmente de cair o queixo, ao chegar mais perto vem a estrutura em forma de pirâmide; algo impressionante.

A bodega

A infinita plantação de uvas na frente da bodega

Porém, a visita em si não me agradou muito não. O grupo formado era grande, e passeamos pela estrutura básica da bodega, sem ter muitas informações acerca da produção e nem mesmo chegando perto dos tanques de produção. O ponto alto da visita é realmente a vista dos Andes e dos vinhedos do topo da pirâmide, essa sim vale a pena cada centavo da visita.

Barricas de carvalho da Catena

Vista do tomo da pirâmide

Ao final fizemos uma degustação privada com os vinhos mais tops da bodega, incluindo até um Nicolas Catena Zapata, um vinho extremamente selecionado (mérito esse do nosso super remis Ariel, pois esse vinho não está disponível em nenhuma degustação oferecida). Este vinho  tem uma produção limitadíssima de garrafas,  ficam por 24 meses em barricas de carvalho francesas antes de serem engarrafadas, permitindo um paladar maravilhoso.

Uma sala cheia de garrafas do vinho Nicolas

|

|

Pulenta

Logo após fomos até a Pulenta, aí já começei a gostar mais das visitas. Éramos apenas nós dois, recebidos com uma taça de vinho branco da adega para degustar durante a visita particular.

Os vinhedos da Pulenta

Nos mostraram todos os tanques que no caso, são de concreto, e inclusive uma sala de degustação lindíssima em meio as barricas de carvalho. Conhecemos o diferencial de podas de cada tipo de vinho e da forma como cada uva é processada (há diferença entre vinhos brancos e tintos). Foi um espetáculo. Esse vinhedo é 100% vertical com cepas selecionadíssimas e de excelente qualidade.

As barricas de carvalho francês

A melhor parte: a degustação

|

|

Chegando na Chandon

Para o almoço escolhemos a harmonização da Chandon. Aqui ressalto ainda mais a importância de reservar com antecedência, isso por que no restaurante tem, ao todo, no máximo 6 mesas disponíveis e corre o risco de não ser atendido. 

Para a degustação você ainda tem duas opções ou o menu com três pratos (entrada, prato principal e sobremesa) ou então um menu com 6 pratos diferentes; todos harmonizados com espumantes da casa. Como achamos um exagero o de 6 pratos, escolhemos o de 3 passos e foi perfeito.

O prato principal

Se a fome não estiver tão grande (os pratos são super bem servidos), vale a pena simplesmente pedir um petisco e tomar um espumante no lindo jardim da bodega, nada mais romântico.

Me encantei por esse jardim

Após o almoço fizemos o tour pela linda propriedade da Chandon. Assistimos a um filminho sobre o início da Chandon na França, conhecemos as cavas e todo o precesso de fabricação e fermentação do espumante. O interessante é que essa visita mostra como a fabricação do espumante é completamente diferente de um vinho tinto ou branco. Saimos apaixonados pela bodega Chandon e carregando mais umas 3 garrafas com a gente.

Iniciando a visita

As cavas e as leveduras na boca da garrafa

No final do passeio já estávamos tão cansados e tínhamos bebidos tanto que resolvemos relaxar no hotel e aproveitar o lindo por do sol sob os Andes na sacada do nosso quarto. O desfecho perfeito para um dia maravilhoso!

Por do sol nos Andes

|

|

|

• A minha Mendoza

Contratando Remis

• Escolhendo as bodegas

• Bodegas de Lujan de Cuyo

 Bodegas de Vale de Uco

Anúncios