Quando se programa uma viagem, uma das primeiras preocupações é como se locomover no destino. Em alguns lugares metrô é a melhor opção, em outros alugar carro é fundamental e em outros um motorista faz toda a diferença.

Eu e o marido nunca fomos adeptos a passeios fechados com agências, já optamos por algumas mas o tempo dedicado na atração é tão curta que nem dá tempo de tirar as milhões de fotos que gostamos de tirar e ainda curtir o local. Então sempre preferimos fazer tudo por conta.

Entretanto, um dos motivos da viagem até Mendoza era aproveitar as bodegas (o marido adoraaaaa um vinho) e tomar quantas taças de vinhos estivéssemos afim. Isso sem tirar nossa liberdade de ir para onde quisessemos e parar aonde bem entendessemos para tirar fotos.

Depois de tanta degustação, sem condições de dirigir 

A solução? Contratar um Remis. Que nada mais é do que um taxi com valor pré determinado que te acompanha o dia inteiro e te leva para onde quiser. Achamos a solução ótima, porque assim poderíamos aproveitar o dia inteiro fazendo o roteiro que bem entendêssemos e ainda com a flexibilidade de pararmos no meio do caminho quando achassemos uma paisagem bonita. Adoramos!

Acho que essa realmente foi uma decisão acertada, isso por que, apesar de encontrarmos diversas pessoas que alugaram carros e nos relataram a facilidade em achar as bodegas nos GPS’s, todos relataram alguma dificuldade com os policiais da cidade, algo que sentimos na própria pele. Por diversas vezes, durante nossos passeios, o carro era parado por policiais, e no passeio ao Alto da Montanha haviam diversas barreiras policiais perguntando aonde iríamos, por que, como e quando voltaríamos.

A partir daí, a corrida era achar um Remis que passasse confiança e ainda fosse um cara legal (afinal passaríamos o dia inteiro com ele). Após várias pesquisas em diversos blogs e sites, acabamos em um forum do Viaje na Viagem onde várias pessoas descreviam suas experiências com diversos Remis da cidade e um deles se destacou para a gente,  o Ariel.

Entramos em contato com ele e era exatamente o que estávamos procurando. O Ariel foi super atencioso desde o primeiro contato e de imediato já passou um email contendo cerca de 5 páginas (exatamente isso o que você leu!! 5 Páginas) com todas as dicas e diferentes bodegas onde era possível visitar. Ficamos impressionados!

O Ariel me explicando tudo sobre as Cordilheras

Após várias trocas de emails e muitas conversas chegamos num acordo em quais bodegas visitar. O que achei legal foi que, apesar de ele indicar várias vinícolas, em momento nenhum nos forçou a ir em alguma que não queríamos. Trocamos diversas vezes de bodegas e fechamos as que realmente queríamos.

O preço não é dos mais baratos tenho que confessar, mas todos os passeio que fizemos com ele foram espetaculares. Ele tem um C4 novinho e muito confortável, conhece muito sobre vinho e sobre a cidade de Mendoza. E ainda consegue diversas vantagens nas bodegas, já que é muito conhecido em todas elas.

Algo importante em Mendoza é sempre reservar os passeios nas bodegas com antecedência e depois de fechado todo o roteiro (que ao chegar por lá foi alterado de novo e sem problemas para ele), o Ariel se disponibilizou para reservar todas as visitas as vinícolas, além dos almoços degustações que queríamos fazer. Muito prático!

Ariel e o maridão

Chegando lá tudo deu muito certo. Ele é realmente muito simpático, nos ajudou a comprar a caixa para trazer os vinhos, nos levou para uma volta na cidade (sem cobrar nada a mais, já que não estava programado) nos contando toda a história da cidade, conseguiu a visita que queríamos à bodega Pulenta que estaria fechada para visitas naquele dia, serviu de fotográfo em muitos momentos e como guia turístico em quase todos.

Enfim, para nós, contratar um Remis foi realmente a melhor escolha.

|

||

|

|

|

|

|

|

|

• A minha Mendoza

Contratando Remis

• Escolhendo as bodegas

• Bodegas de Lujan de Cuyo

• Bodegas de Vale de Uco


Anúncios