Sem dúvida nenhuma o passeio que mais gostei de toda a viagem foi ver de pertinho o Encontro das Águas.

Mas a dúvida sempre foi como fazer esse passeio sem apelar para agências de turismo. Isso por que o passeio por agência sai as 8:00 e volta as 17:00 (ou seja dura um dia inteiro) e envolve: encontro das águas, passeio no igarapé, observação de vitória régia com parada para almoço em um restaurante flutuante. Além de cobrar caro, ainda teria que dividir espaço nas fotos com um monte de gente, ficar 5 segundos no lugar e depois partir para outro e assim ficar o dia inteiro; isso sem falar no fato de que perderia 1 dia inteiro para apenas um passeio.

Navegando pelo Rio Negro para chegar ao Encontro das Águas

Sem dúvida tínhamos que achar outra alternativa. Na cidade existem vários portos de onde sai barqueiros, ferries que atravessam o Rio Negro mas descobrimos que o Porto do Ceasa (perto da Bola do Suframa) é o mais próximo ao encontro das águas, então lá fomos nós.

Ao chegar você se depara com uma série de barqueiros oferecendo seus serviços, conversamos com alguns e assim escolhemos o Fred (recomendo!! Contato no final do post) e o nosso roteiro (você pode escolher qualquer passeio, até focagem de jacaré a noite eles fazem), acertamos o preço e o resto foi só curtir.

O barco era bem legalzinho, novo, com uma cobertura para proteger do sol forte. Escolhemos o roteiro completo (igual aquele feito pela agência de turismo), com as vantagens de sermos sós nós no barco e de ser feito todo em 1 hora e meia com toda a calma do mundo, aproveitando o tempo que queríamos em cada lugar, tirando quantas fotos queríamos. Super Recomendo! O barqueiro serviu até de guia turístico mesmo, contando as curiosidades da região e de quem mora por ali.

Nós no barquinho

Saímos do porto e fomos direto para o Encontro das Águas. O encontro dos Rios Negro (coloração escura) e Solimões (coloração mais clara) que fazem parte da Maior Bacia Hidrográfica do mundo e que formam o Rio Amazonas, o maior rio do mundo.

O interessante é que os dois rios não se misturam por 6km isso por que os dois possuem velocidade, densidade e temperatura diferente. Para perceber essa diferença ao chegar pertinho do encontro coloque a mão na água e siga assim até chegar no Rio Solimões.

Rio Solimões + Rio Negro

Depois do encontro, fomos ali pertinho ver as vitórias régias… achei incrível, sempre quiz vê-las de pertinho e achei lindo!!!

“Close” das Vitórias Régias

E então ao passeio no Igarapé, passeando por dentro da floresta chega-se a uma comunidade de ribeirinhos que vive por lá, muito interessante ver as casas flutuantes pelo Rio Negro e como aquela comunidade vive, com escolas, mercadinhos e etc.

Por lá tem ainda uma das casas que entramos e que o morador tem uma criação de pirarucus (para turista ver) e por lá é possível ver de perto o peixe que pode atingir 3 metros e até alimentá-los, apesar de pega turista achei muito divertido.

Achei o passeio inteiro muito divertido e incrível. Valeu muito a pena fazer tudo por conta, com um barco só para a gente e com tempo de fazer e pararmos aonde queríamos e por quanto tempo a gente queria. Vale a pena.

 

  


Além de ver o encontro das águas do rio, é muito legal ver de cima, do ar. Sim… é possível ver o encontro das águas do ar, basta sentar do lado esquerdo (se estiver voando para o sul) do avião. Você terá  vistas lindas do Encontro do Rio Negro e Solimões e a formação do Rio Amazonas.

Acima: Encontro Rio Negro (mais escuro) e Rio Solimões (mais claro)

Abaixo: Depois do encontro, o Rio Amazonas formado

o

Mais sobre a viagem de Manaus aqui:

Resumo da Viagem

Se hospedando em uma Jungle Lodge

Passeios em meio a Floresta Amazônica

O lindo Teatro Amazonas

Anúncios