Tóquio é uma cidade enorme e as atrações estão muito dispersas, fiquei por lá cerca 3 dias e meio (na verdade fiquei 4 mas 1 dia fui para Hakone ver o Mt Fuji e meio dia fui conhecer Yokohama uma cidade satélite linda e planejada) e achei pouco… teria que ficar pelo menos mais 1 a 2 dias.

Não consegui ver tudinho, mas o que eu realmente queria consegui ver na correria mas consegui.

Lá você depende de metrô para tudo, dificilmente você consegue ir de uma bairro a outro a pé, tudo é muito longe.

No primeiro dia fizemos de manhã o bairro AKIHABARA (sim reserve 1 manhã toda e acredite se você é aficcionado em eletrônicos você vai achar pouco). Esse é o bairro dos eletrônicos, tudo o que você pensa nessa categoria é lá o lugar que você vai achar. Tem várias lojinhas uma ao lado da outra, desde lojinhas pequenas até lojas gigantes com andares e mais andares como a Yodobashi.

Tudo o que você possa imaginar de material fotográfico, informática, relógios, eletrodomésticos e etc. São corredores e mais corredores, andares e mais andares… a vontade é levar tudo.

A foto proibida

Logo após o almoço fomos para o bairro de Asakusa no Templo de Senso-ji. O templo é lotado e um ótimo lugar para escolher aquela lembrançinha para a família.  Tem vários prédios  e muitas carpas no laginho… Bem lindo!!!


Altar do Senso-ji

Em seguida pegamos um cruzeiro pelo Rio Sumida… uma delícia de passeio onde se observa as várias pontes da cidade. E olha que são muitas!!! Esse cruzeiro tem diversos roteiros, resolvemos ir de Asakusa para Odaiba; uma das parte mais novas da cidade.


Na verdade esse bairro portuário abriga uma série de shoppings center com diversas opções de bares e restaurantes e até a torre da Fuji TV. Chegamos lá no horário do por do sol… e a vista tanto do por do sol quanto de noite é linda!!! A vista se complementa com a visão da Tokyo Tower (que é mais bonita inserida na vista do que subindo até nela… essa última desistimos de fazer… pois tínhamos subido tantos prédios muito mais altos e com vista com a Tokyo Tower incluída na vista que não nos pareceu necessário, mais para frente vocês verão o que quero dizer) e a raibow Brigde.

Por do sol em Odaiba

Vista a noite com a Tokyo Tower

Shoppings, restaurantes na baía

Margeando o Rio Sumida exite um calçadão que é uma delícia de andar, namorar e simplesmente tirar muitasssss fotos.

De lá fomos para o Roppongi… Lá não é necessariamente um bairro e sim uma região completamente construída e planejada por um arquiteto com tudo de mais moderno. São diversos prédios super modernos onde existem restaurantes, bares, baladas, cinemas, salas empresariais e etc… É uma região completamente comercial. Subimos em um dos prédios para ver a vista da cidade a noite!!! Lindo!!! E aproveitamos para  jantar em um dos restaurantes deliciosos.

A cidade já é mais cara na região do Roppongi então… nem se fala!! É uma região super cara, e super movimentada tanto de dia quanto de noite. De dia pelos empresários que trabalham nos prédios e a noite pelos restaurantes e baladas.

Um dos restaurantes do Roppongi

As ruas são todas cobertas e modernizadas; os prédios são todos envidraçados e super altos. É uma região em Tóquio que não tem nada a ver com o resto da cidade.

Assim terminamos nosso primeiro dia em Toquio, exaustos de tanto andar… mas maravilhados com uma cidade tão linda!!!

No dia seguinte antes de irmos para Yokohama (uma cidade vizinha) resolvemos passar no Museu Yasukuni, que fica em anexo com a o templo da Paz. Queríamos destrichar e descobrir um pouco mais da história do país.

O templo na verdade não tem muita coisa para ver, e no momento que chegamos estava tendo uma cerimônia dos heróis de guerra e por isso o silêncio era exigido. Aliás esse templo foi exatamente criado para homenagear os heróis de guerras. Guerras que foram a marca do Japão por um longo templo.

Yasukuni Temple

Em anexo com o templo está o Museu da Guerra (Yasukini Jinja) que conta tudo sobre as guerras que o Japão se envolveu.

Logo na entrada tem um avião kamikaze que os japonses são tão famosos. Aliás os kamikazes foram criados pelo desespero dos japoneses quando viram que não tinham mais chances alguma da 2 Guerra. Isso por que já não tinham munições e a única alternativa seria jogar os aviões em cima de seus alvos. O Japão nem sempre foi o país rico que é hoje, durante as guerras se endividaram muito e foram praticamente destruidos pelas sucessivas guerras que aconteceram, seja com os EUA, China e muitos outros.

Kamikaze

No museu tem a história de todas as guerras que o Japão se envolveu, objetos pessoais dos militares, fotos de TODOS os mortos da guerra (triste demais), gravações de militares dizendo o quanto sentem falta da família, fotos de filhos que os militares levavam, cartas que escreviam, réplica de mísseis, submarinos, restos de balas e etcs…

Sai do museu esgotada fisicamente, é tão triste pensar que nas guerras quem realmente sofre são os familiares dos soldados que nunca sabem se ou quando os maridos, filhos, pais vão voltar.

Sai com lágrimas no olho, pois lá você vê realmente o rosto de cada um que lutou e perdeu sua vida lutando pelo país e sente o sofrimento dos familiares, e então se entende o tributo que foi construído (o templo em anexo), lá eles realmente respeitam e valorizam os soldados que, pela história, fizeram o país chegar onde  chegou.


Anúncios